She & Him

A investida de atrizes na carreira de cantora pode causar sentimentos diversos. No século XX as lembranças são incríveis: Doris Day, Olivia Newton John, Ann Margaret (atriz-cantora, cantora-atriz), entre outras. Dos anos 2000 para cá as referências são no mínimo controversas: Paris Hilton, Hilary Duff, Lindsay Lohan, Scarlett Johansson e porque não Juliette Lewis que compensa seu talento musical limitado com um verdadeiro freak show em cima do palco.

A investida em uma carreira paralela que não a que consagrou uma “estrela” é vista com muita desconfiança pela crítica. Sorte – e talento – melhor teve Zooey Deschanel (Quase Famosos), que ao lado do músico de country-folk M. Ward começa chamar atenção com a banda She & Him, formada após cantarem uma música – “When I Get to the Border” (que não está na trilha), de Richard & Linda Thompson – no filme The Go-Getter, ainda inédito no Brasil.

Enquanto Deschanel alcançava o estrelato nas telas com o “Guia do Mochileiro das Galáxias” após ótimas atuações em filmes independentes, Ward não ficou para trás e despontou no meio musical ao co-produzir álbuns para Neko Case, Chan Marshall (Cat Power), Conor Oberst (Bright Eyes), Jim James (Morning Jacket), Nels Cline (Wilco) e Jenny Lewis (Rilo Kiley), além de fazer parte do grupo canadense Broken Social Scene.

Com uma sonoridade que remete ao country pop (ou folk-pop, que muito se assemelham ao soft-rock) dos anos 1970 o She & Him lançou recentemente seu primeiro álbum, intitulado “Volume One”. Dentre as 11 faixas, a voz de Zooey Deschanel entoa três covers: “Was Made For You” de Ronnie Spector, “I Should Have Known Better” dos Beatles e “You Really Got a Hold On Me”, que apesar de atribuída a John Lennon é de autoria do The Miracles, banda americana de R&B que fez certo sucesso nos anos 1960.

As oito faixas restantes foram escritas pela “she” que dá nome à banda e é em “Why Do You Let Me Stay Here” que o duo alcançou o sucesso e reconhecimento de fãs e críticas sendo uma das principais atrações do South by Southwest 2008, festival de música (e filmes) que religiosamente acontece todos os anos no mês de março na cidade de Austin, no Texas.

Enquanto Zooey, que quando pequena cantava em um coral, toca piano e banjo, Ward acumula três funções: a de back vocal, guitarrista e produtor do álbum. A voz de Deschanel é daquelas arrebatadoramente tristes que somada às letras românticas composta pela (ex?) atriz, muito se assemelham à fase Isobel Campbell do Belle & Sebastian.

Diferente da carreira como atriz, onde suas atuações eram muito destacadas, Deschanel aqui não tenta ser uma celebridade, muito menos chamar atenção por qualquer outra coisa que não seja sua doce voz, o que é inteligente, pois como uma menina apaixonada com seu melhor vestido, cantando diante de seu grande amor, ela não só encanta como convence.

18 Responses to “She & Him”


  1. 1 flaviazim April 7, 2008 at 5:55 pm

    adorei a “Why Do You Let Me Stay Here” e a capa do cd.. coisa mais fofa!

  2. 2 Thais April 8, 2008 at 10:37 am

    Entao.. vamos la. Eu sou fa da Zooey tambem ha tempos. Motivo que me fez correr atras do quando ouvi falar de She & Him. Ai, eu cheguei em casa, coloquei o cd pra tocar e fui fazer o que eu tinha que fazer. Depois de meia hora gostando das musicas e me achando uma dona de casa americana dos anos 50, gracas a trilha sonora, eu percebi que so tinha UMA coisinha que me incomodava: a voz dela. Talvez seja uma coisa que eu so tenha percebido escutando varias faixas na sequencia, mas pra minha desilusao a voz da Zooey nao era tudo isso. Nao consegui escutar ate o fim e ate hoje eu me limito a uma ou outra musica, porque o album inteiro como e do meu costume, nao da.
    Mas e so a minha opiniao, nao e mesmo?🙂

  3. 3 Pedro Beck April 8, 2008 at 12:14 pm

    Tha, talvez você tenha ido com muita sede ao pote e realmente não é o caso.

    Acho que dentro da proposta da ZD e do MW a banda faz tudo direitinho. A proposta que eu digo é fazer um som bacana, descompromissado e ambos se divertirem.

    A voz da Zooey não é realmente o ponto forte do S&H. Mas acho que é aí que o S&H ganha pontos. M Ward sabe e ZD deve saber de sua limitação, mas ela não tenta ofuscar isto com acrobacias pelo palco ou vestidinhos que deixem suas pernas de fora à Jenny Lewis – não que JL não tenha uma voz incrível, she does.

    Por falar em Lewis, de novo eu cito a Juliette Lewis que se leva a sério demais. Se ela fosse boa não seria para sempre lembrada como “a atriz que virou cantora”.

    Não vejo a Zooey sendo citada desta forma, só vejo “Olhem! Ela tem uma banda”!

    Não? =)

  4. 4 flavia. April 8, 2008 at 12:45 pm

    jura que ele era do broken social scene?😮

    aah, eu acho a voz dela lindinha. e ele é foda. e os dois são massa juntos. e eu quero show djá.

  5. 5 flavia. April 8, 2008 at 12:46 pm

    quer dizer, pensando bem eu quero mais um show dele solo. pode ter participação dela.😛

  6. 6 dani. April 8, 2008 at 6:27 pm

    aeeee! eu gostei do cd, mas num me apaixonei náo.. sendo que ela cantando you really got a hold on me me fez chorar por uma noite inteira! =*

  7. 7 Caio Caprioli April 8, 2008 at 7:34 pm

    Incrivel o post sobre o Roy abaixo =)
    Eu sempre quis uma obra original dele, mas não tenho tempo $ para isso, rs.

  8. 8 Pri. April 9, 2008 at 5:07 am

    O contrário também acontece: acabei de ver o novo do Wong Kar Wai que tem a Norah Jones como protagonista. Uma Norah Jones meio indefinida, mas afinadinha…

    “Deschanel” parace uma definição indie para alguém que contraria a Chanel… Achei fofo e procurarei mais, sabe?!

    Quanto a frases sacanas vindas de mim, eu não valho nada mesmo! Aquela coisa de “atoladinha” é funk (carioca) puro…

  9. 9 fer April 9, 2008 at 8:03 pm

    ah, eu baixei she & him esses tempos. é lindo :~

  10. 10 das loose April 10, 2008 at 12:41 pm

    baixei lá em casa e escutei enquanto fazia qualquer outra coisa. não prestei muita atenção, mas já gostei de algumas canções. a música que a zim citou foi a que mais gostei até então, mas claro, depois de uma audição mais atenciosa, isso pode mudar.🙂

  11. 11 Gustavo Miller April 11, 2008 at 7:16 pm

    Pô, bacana esse seu post. Sou meio paga pau da Zooey, gosto desse jeito indie dela desde O Guia dos Mochileiros. Vou baixar e escutar.

    Abraços!

  12. 12 Andrea April 14, 2008 at 12:06 am

    Adorei o comentário sobre as atrizes que se tornam cantoras (?)e principalmente do caso Lewis. hahaha! eu adorei o She & Him, Pedro. acho que como toda tendência, a gente ouve, ouve, ouve, depois enche o saco (ou melhor, os ouvidos) e parte para outro estilo, só pra desafogar um pouquinho. e agora com o “hype” em alta, meus ouvidinhos estão super felizes, porque eles não agoetam mais (ok, tô sendo exagerada se tratando de certas bandas) guitarras fortes e barulho!hahahaha tu conhece o Arrah and the Ferns? também é ótimo, faz a linha, ótimo pra relaxar e tal.
    Enfim, great post! (:

  13. 13 Mariana Rezende April 14, 2008 at 2:18 pm

    tem link pra baixar?

  14. 14 ALEXANDRE January 3, 2009 at 7:05 pm

    Esse som não parece novo. Não dá aquela impressão de que que, já ouvimos isso antes? Que se dane se for bom e me parece o caso. a bombada Why Do You Let Me Stay There é o máximo… Vida longa She & Him.

  15. 15 lontraboi March 6, 2009 at 3:54 am

    Que a voz dela parece a da Isobel Campbell na era Belle & Sebastian isso já um pouco puxado não? anyway adorei o post – hahah – 1.não fui a primeira a notar os shorts very shorts da Jenny Lewis. 2. brigada por lembrar que ” you really got a hold on me” odeio quando o pessoal acha que uma música é dos Beatles quando ela não é, igual a Stand by Me. 3. som bão sim, um pouco anacrônico. 4. Ela vai continuar sendo atriz, certeza, ainda tem muita jovem mulher ex-adolescente desconcertada pra ela interpretar no mundo indie da vida.

  16. 16 Michele June 4, 2010 at 10:33 pm

    Ao contrário da maioria das pessoas aqui escutei a dupla sem saber
    q era a zooey – e adorei! A melodia depressiva e às vezes ingênua agradou!

  17. 17 PryCooper July 16, 2010 at 2:22 am

    Como o Pedro disse acima, o SHE & Him trata-se de toda uma sinergia musical. Nada alí é muito do muito.. é tudo balanceadamente ótimo. O próprio nome da banda, a vocalista Zooey Deschanel em entrevista ao NEW YORK Times, dclarou que era pra ser anônimo e modesto… por que a intenção não era tirar e nem chamar a atenção pra nada, Simplesmente deixar fluir e cativar as pessoas. Eles não querem ser pop, eles querem agradar quem gosta de música.
    PEEEDROOO me autoriza no twitter por favor?

  18. 18 porcodio,porcamadonna,oro compro brescia, andrea pernici December 15, 2013 at 10:07 pm

    Spectacular conquer! I must novice all at once as you fix your web site, how could i subscribe for the blog website? Your bank account helped me to some sort of suitable deal. For a nice and a bit more well known with this ones transmit made available dazzling obvious thought


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s




Editor


Pedro Beck é jornalista e crítico de TV.


Contato:
pedrobeck@gmail.com

Categorias


%d bloggers like this: